Sexta-feira, 30 de Junho de 2006

coração dói

Quando dói o coração,
todo o corpo dói.
Por que permitimos que as
pessoas entrem
assim tão dentro da gente a ponto
de saírem
carregando um pedaço de nós
quando partem?
Por que nos damos tanto,
nos entregamos tanto,
nos deixamos tanto em mãos não
tão cuidadosas dos nossos sentimentos?
Deveríamos aprender a ficar
na margem,
olhando de longe a paisagem calma
e nos satisfazer dessa visão,
como quem se fascina com
uma miragem.
Mas não nos satisfaz olhar.
Humanos que somos,
precisamos absolutamente sentir,
ao risco de nos afogar...
e mergulhamos inteiramente.
E, vida afora,
vamos mergulhando em promessas
de amor eterno,
felicidade infinita e mar de rosas.
Não nos questionamos sobre
probabilidades de perdas e decepções,
pois só de pensar já é doloroso.
Dói... dói... dói e dói!...
Mas isso não vai nos impedir de continuar,
não vai nos impedir de viver.
Pedaços de nós são ainda partes
de nós e ninguém disse que
precisamos chegar
à velhice inteiros e sem marcas.
Isso é vida!!! Não desistir,
manter-se de pé, doendo,
mas de pé,
cabeça erguida na direção do desconhecido
e peito cheio de esperança
que a próxima vez será diferente.
Grandes artistas obtiveram o
melhor das suas
obras nos grandes momentos de
aflição e dor. .
E se faz parte da vida
caminhar entre flores e espinhos,
não se esquive do caminho.
Caminhe!!!
Amanhã talvez seja diferente.
E talvez não.
Mas entre as subidas e descidas,
você vai ter sobrevivido.
E vai ter, sobre tudo, vivido

publicado por pura às 00:49
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 29 de Junho de 2006

Te Porcuro na Música

Te procuro nas músicas que eu escuto...


procuro sua presença,


procuro sua alma,


procuro um instante nosso..


.procuro um sentimento...


Queria te cantar em meus versos,


 sussurrar ao seu ouvido..


as mais belas palavras...


as quais nem os poetas puderam prever....


só meu coração poderia criar e te falar do meu amor!!!


Um amor único...


só eu sinto, só por você sinto!


quando você está ausente minha vida se torna um silêncio...


que me tortura,


que me corrói..


então,


te procuro nas músicas que ouço


e faço eterna a sua presença.....

publicado por pura às 00:44
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 28 de Junho de 2006

O Amor Antigo

O amor antigo vive de si mesmo


Não de cultivo alheio ou de presença.


Nada exige nem pede. Nada espera,


Mas do destino vão negar a sentença.


O amor antigo tem raízes fundas,


Feitas de sofrimento e beleza.


Por aquelas mergulha no infinito,


E por estas suplanta a natureza.


Se em toda parte o tempo desmorona


Aquilo que foi grande e deslumbrante,


O antigo amor, porém, nunca fenece


E a cada dia surge mais amante.


Mais ardente, mas pobre de esperança.


Mais triste? Não. Ele venceu a dor,


E resplandece no seu canto obscuro,


Tanto mais velho quanto mais amor.

( Carlos Drummond de Andrade )
publicado por pura às 00:40
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 27 de Junho de 2006

A entrega

nudez.jpg
Triste daquele homem que não tem.
A beleza dos dias e a ternura do anoitecer.
O calor íntegro dos laços em afeições.
A ternura dos sonhos, vida e emoção.

Lamento por aquele que tem e não sabe desfrutar.
Dos lindos dias em saber amar e entregar de alma e intenções.
A qual nos dá todos os dias a calma e luz das situações.
Libera a intensa imagem da perfeição nos traços da afeição e no coração.

Coitado daquele que não trata como rosas delicadas em dia de sol a que te faz amar.
Recebe fortuna amorosa e devolve ríspidas e duras marteladas pobres e ingratas.
Leve seu grande abandono por que não soube cuidar e perdeu o encanto de todos os matinais.
E em solidão brusca, grotesca em salivas amargas que terás que viver.

São aquelas que cujo olhos brilham na sua presença da compartilhada troca caridosa que nada quer em troca.
Caricias em repleto delírios das noites vividas em companhia da sedução conquistada a cada dia.
Plena satisfação de um ser que enche-se do deleite por aquela que te acompanha em sua protecção, e aquece-se em seu amor.
Esta triste e singela de todos os dias, deve ser regada com arrepios das palavras e com o calar de um olhar amante .
Na conquista de todos instantes, no afago dos beijos delirantes de um vida ligada em satisfações constantes.
E ela! A companheira escolhida e declarada, humilde de alma e disposta na entrega, nossa arquitecta do romance.
Respeite-a, entenda os momentos e conquiste-a em todos os instantes e não se arrependerás do retorno repentino e perpétuo.
E viva, viva intensamente a condenação do amor, não só no dia da mulher, mas todos os dias que dela é!!!
publicado por pura às 22:56
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 26 de Junho de 2006

Às vezes ...

anjo1.JPG
Às vezes estamos sem rumo,
mas alguém entra em nossa vida,
e se torna o nosso destino.
Às vezes estamos no meio
de centenas de pessoas,
e a solidão aperta nosso
coração pela falta de
uma única pessoa.

Luiz Fernando Veríssimo
publicado por pura às 22:44
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 25 de Junho de 2006

ventos

ventos.JPG 

publicado por pura às 18:17
link do post | comentar | favorito
|

TEMPO

escrever.gif
Quando Vitor tinha somente cinco anos, a professora do jardim de infância pediu aos alunos que fizessem um desenho de alguma coisa que eles amavam.
Vitor desenhou a sua família.
Depois, traçou um grande círculo com lápis vermelho ao redor das figuras.
Desejando escrever uma palavra acima do círculo, ele saiu de sua mesinha e foi até à mesa da professora.
- Professora, como a gente escreve...?
Ela não o deixou concluir a pergunta.
Mandou-o voltar para o seu lugar e não se atrever mais a interromper a aula. 
Vitor dobrou o papel e o guardou no bolso.
Quando retornou para sua casa, naquele dia, ele se lembrou do desenho e o tirou do bolso. Alisou-o bem sobre a mesa da cozinha, foi até sua mochila, pegou um lápis e olhou para o grande círculo vermelho.
Sua mãe estava preparando o jantar, indo e vindo do fogão para a pia, para a mesa, mas ele queria terminar o desenho antes de mostrá-lo para ela.
- Mamãe, como a gente escreve...?
- Menino, não dá para ver que estou ocupada agora?
Vá brincar lá fora. E não bata a porta, foi a resposta dela.
Ele dobrou o desenho e o guardou no bolso.
Naquela noite, ele tirou outra vez o desenho do bolso.
Olhou para o grande círculo vermelho, foi até à cozinha e pegou o lápis.
Ele queria terminar o desenho antes de mostrá-lo para seu pai.
Alisou bem as dobras e colocou o desenho no chão da sala, perto da poltrona reclinável do seu pai.
- Papai, como a gente escreve...?
- Vitor, estou lendo o jornal e não quero ser interrompido.
Vá brincar lá fora. E não bata a porta.
O garoto dobrou o desenho e o guardou no bolso.
No dia seguinte, quando sua mãe separava a roupa para lavar, encontrou no bolso da calça do filho, enrolados num papel: uma pedrinha, um pedaço de barbante e duas bolinhas de gude, os tesouros que ele catara enquanto brincava fora de casa. Ela nem abriu o papel. Atirou tudo no lixo.
Os anos rolaram...
Quando Vitor tinha 28 anos, sua filha de cinco anos, Inês, fez um desenho.
Era o desenho de sua família.
O pai riu quando ela apontou uma figura alta, de forma indefinida e disse:
- Este aqui é você, papai! e também riu.
O pai olhou pra o grande círculo vermelho feito por sua filha, ao redor das figuras e, lentamente, começou a passar o dedo sobre o círculo.
Inês desceu rapidamente do colo do pai e avisou:
- Eu volto logo!
E voltou. Com um lápis na mão.
Acomodou-se outra vez nos joelhos do pai, posicionou a ponta do lápis perto do topo do grande círculo vermelho e perguntou:
- Papai, como a gente escreve... amor?
Ele abraçou a filha, tomou a sua mãozinha e a foi conduzindo, devagar, ajudando-a a formar as letras, enquanto dizia:
- Amor, querida, amor se escreve com as letras: T...E...M...P...O...


Conjugue o verbo amar todo o tempo.
Use o seu tempo para amar.
Crie um tempo extra para amar, não esquecendo que, para os filhos, em especial, o que importa é ter quem ouça e opine, quem participe e vibre, quem conheça e incentive.
Não espere seu filho ter que descobrir sozinho como se soletra amor, família, afeição.
Por fim, lembre: se você não tiver tempo para amar, crie.
Afinal, o ser humano é um poço de criatividade.
E o tempo...bom, o tempo... é uma questão de preferência.

publicado por pura às 17:16
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
|
Quinta-feira, 22 de Junho de 2006

Amigo Virtual!


Estou procurando um amigo virtual...
Você quer ser esse meu amigo?
De onde você é? Ah, isso não importa!
Sua aparência também não.
 
Não importa que você não seja um óptimo digitador.
E também não precisa saber tudo sobre computadores. Meu amigo virtual só precisa ter um coração real.
Não pode se esquecer de me mandar um montão de e-mails...
Nem se esquecer de responder aos e-mails que eu mando...
 
Tem que se lembrar de mandar-me uma página de mensagem eletrônica nos momentos difíceis...
E nos momentos alegres também!
Meu amigo virtual não pode se esquecer que eu sou gente real e que tenho um grande coração.
Tudo isso é para você:
- O Meu Grande Amigo Virtual!

(autor desconhecido)

publicado por pura às 22:57
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 21 de Junho de 2006

CULTIVE A BONDADE

"A busca da felicidade é a motivação fundamental da nossa vida.

Todos possuímos um forte senso para amar e sermos felizes.

Cultive este optimismo e pense: existe a bondade em todas as pessoas; depende também de mim contribuir para trazê-la à tona.

Na vida, tudo tem um lado positivo, se você souber encontrá-lo."



(obrigada a quem me enviou esta msg)
publicado por pura às 22:28
link do post | comentar | favorito
|

um anjo para você

anjinh.jpg 

Um Anjo para Você...
Para iluminar seu caminho,
para colocar ordem na sua vida,
para você ter sempre a certeza,
de que ele está ao seu lado,
em todos os momentos.
Em qualquer situação,
na sua tristeza e na sua alegria.
E mesmo que você se esqueça dele às vezes,
ele estará sempre do seu lado,
lhe ajudando,
lhe dando conselhos,
lhe conduzindo na sua estrada,
às vezes triste, às vezes alegre.
Ele sempre vai dar o melhor de si,
para lhe ajudar,
e em troca disso,
ele só quer que você saiba dele,
que acredite nele.
Não precisa saber o nome do seu anjo,
basta lembrar dele como uma luz,
a iluminar o seu caminho.
E você pode ter certeza de que ele é assim,
uma imensa luz,
que não se apaga nunca,
que não fica fraca,
que jamais perde sua força e seu brilho.
Um lindo anjo para você...
Que você possa contar com ele,
Sempre....sempre...

(autor desconhecido

publicado por pura às 22:03
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Tanto tempo ...

. POEMA DA SOLIDÃO

. ....

. Como não podia deixar pas...

. As melhores de Zezé di Ca...

. Medo da chuva - Zezé di C...

. Tarde de mais - Zezé di C...

. Agata - Sozinha

. Anjos e a "Vingança"

. Ao Telefone!

.arquivos

. Agosto 2011

. Outubro 2009

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds