Sábado, 26 de Novembro de 2005

Os Amantes - Daniel

daniel.JPG 


Qualquer dia, qualquer hora
A gente se encontra
Seja aonde for, prá falar de amor (Bis)

Prá matar a saudade,
Da felicidade
Dos instantes que juntos passamos
E promessas juramos
Reviver os momentos
De sonho e de paixão
Das palavras loucas
Vindas do coração

Meu amor
Ah se eu pudesse te abraçar agora
Poder parar o tempo nessa hora
Prá nunca mais eu ver você partir (Meu amor) (Bis)


Daniel

publicado por pura às 00:06
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Novembro de 2005

Houve em tempos alguém que me enviou um trecho deste poema e hoje aqui lhe dedico por completo...

labios.3


Há palavras que nos beijam
Como se tivessem boca,
Palavras de amor, de esperança,
De imenso amor, de esperança louca.

Palavras nuas que beijas
Quando a noite perde o rosto,
Palavras que se recusam
Aos muros do teu desgosto.

De repente coloridas
Entre palavras sem cor,
Esperadas, inesperadas
Como a poesia ou o amor.

(O nome de quem se ama
Letra a letra revelado
No mármore distraído,
No papel abandonado)

Palavras que nos transportam
Aonde a noite é mais forte,
Ao silêncio dos amantes
Abraçados contra a morte.


Autor: Alexandre O'Neil

publicado por pura às 01:01
link do post | comentar | favorito
|

NO SE TU - Luis Miguel

Music Video Codes by VideoCure.com
publicado por pura às 00:25
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 23 de Novembro de 2005

Sem o Seu Amor Nada Sou

amanhecer.jpg


Anos se passaram,
vidas mudaram,
razões fortificaram,
sentimentos se calaram;
mas antiga paixão continuou forte,
gritando o teu nome,
sacudindo meu coração,
balançando meu ser,v mexendo com minha emoção...
A verdade é que não sei viver
sem o seu jeitinho de ser,
sem o seu sorriso,
o seu rostinho,
seu olhar,
até o seu jeito de andar...


Sempre que estou com alguém,
tentando viver um grande amor,
me sinto sozinho,
não importa com quantas pessoas eu esteja
e quantos amores eu venha ter;
sem você eu sempre serei uma pessoa só,
em busca desse amor complicado,
louco, abafado...
um amor que não se apagou no tempo,
um amor que nunca vai acabar,
um amor que durará no verão,
na primavera do sertão,
no outono do mar,
até quando o inverno acabar...


Não existem razões para essa paixão,
ela simplesmente aconteceu,
nasceu de um simples olhar,
marcou o meu viver,
e me faz sentir falta de você.


E eu busco, a cada instante,
tornar esse sentimento forte,
para tomar conta do meu ser,
para que eu nunca nessa vida
me esqueça de você...

Eu quero,
ah como eu quero
ter o seu amor,
sentir o teu calor...
Talvez eu nunca te conquiste,
talvez eu nunca tenha o seu amor,
mas tudo bem, tudo certo,
me contento em estar por perto...
mas eu quero que saiba que sem você,
sem o seu amor, nada sou...

publicado por pura às 01:33
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 22 de Novembro de 2005

POEMINHA SENTIMENTAL

Andorinha_fn_20.jpg


O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas...
De vez em quando chega uma
E canta
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
Canta e vai-se embora
Outra, nem isso,
Mal chega, vai-se embora.
A última que passou
Limitou-se a fazer cocô
No meu pobre fio de vida!
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
As andorinhas é que mudam.

Mario Quintana
publicado por pura às 10:04
link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 21 de Novembro de 2005

Amar

lagrima23.jpg


"Amar: Fechei os olhos para não te ver e a minha boca para não dizer... E dos meus olhos fechados desceram lágrimas que não enxuguei, e da minha boca fechada nasceram sussurros e palavras mudas que te dediquei....O amor é quando a gente mora um no outro." - MÁRIO QUINTANA

publicado por pura às 00:41
link do post | comentar | favorito
|
Domingo, 20 de Novembro de 2005

EU ESCREVI UM POEMA TRISTE

Beautiful-Roses.jpg


Eu escrevi um poema triste
E belo, apenas da sua tristeza.
Não vem de ti essa tristeza
Mas das mudanças do Tempo,
Que ora nos traz esperanças
Ora nos dá incerteza...
Nem importa, ao velho Tempo,
Que sejas fiel ou infiel...
Eu fico, junto à correnteza,
Olhando as horas tão breves...
E das cartas que me escreves
Faço barcos de papel!

Mario Quintana
publicado por pura às 00:51
link do post | comentar | favorito
|
Sábado, 19 de Novembro de 2005

AMOR

amor.jpg

publicado por pura às 00:47
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 18 de Novembro de 2005

Felicidade

felicidade.jpg


 


 

publicado por pura às 00:43
link do post | comentar | favorito
|
Quinta-feira, 17 de Novembro de 2005

Sem ti

passaros.jpg




Sem ti em minha vida.
Sou como um céu sem estrelas,
Um rio sem águas,
Um marinheiro sem mar
Uma aranha presa em sua teia...
- Um corpo sem alma a vagar
teimando a viver sem vida.

publicado por pura às 01:11
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2011

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.posts recentes

. Tanto tempo ...

. POEMA DA SOLIDÃO

. ....

. Como não podia deixar pas...

. As melhores de Zezé di Ca...

. Medo da chuva - Zezé di C...

. Tarde de mais - Zezé di C...

. Agata - Sozinha

. Anjos e a "Vingança"

. Ao Telefone!

.arquivos

. Agosto 2011

. Outubro 2009

. Dezembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Setembro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Fevereiro 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

.tags

. todas as tags

blogs SAPO

.subscrever feeds